Notícias


Nota de Pesar

04/02/2019 / Autor: OAB-PA


É com profundo pesar que a Ordem dos Advogados do Brasil, Seção Pará, comunica o falecimento do advogado criminalista Alberto da Silva Campos, ocorrido na madrugada desta segunda-feira (04). Ele é pai do presidente da OAB-PA, Alberto Antonio Campos. Profissional com histórica militância na advocacia criminal, Alberto da Silva Campos exerceu o cargo de conselheiro seccional por dois mandatos. Bastante importante na formação de várias gerações de advogadas e advogados, foi professor da UFPA e do CESEP (hoje UNAMA).

O velório será realizado a partir de 9h, no plenário Aldebaro Klautau (sede da OAB-PA), com missa de corpo presente às 14h. O sepultamento vai ocorrer às 15h, no cemitério Recanto da Saudade. Neste momento de profunda dor e consternação, todos os integrantes do Sistema OAB Pará manifestam solidariedade ao presidente Alberto Campos e seus familiares. 

Biografia

Alberto da Silva Campos graduou-se em Direito pela UFPA – Universidade Federal do Pará em 1966, ano em que fundou o escritório de advocacia que carrega o seu nome. Ingressou como professor assistente na UFPA em 1965, lecionando a disciplina Técnica Comercial, do Curso Técnico de Administração. Entre 1966 e 1967 no Curso de Ciências Contábeis da UFPA, lecionou Técnica Comercial e Contabilidade Bancária, onde assumiu, no Centro Sócio-Econômico, a Chefia do Departamento de Micro-Economia.

Na UFPA, Alberto Campos, por designação da reitoria, compôs Comissões de Processos Administrativos Disciplinares; no Centro Sócio-Econômico, integrou a Comissão para Elaboração do Plano de Estágio do Curso de Direito, passando, por concurso público, a integrar o corpo docente do curso de Direito, de onde aposentou-se como titular da disciplina Processo Penal. Em 08/03/1971, assumiu o cargo de Coordenador do Estágio Profissional da Faculdade de Direito, tendo sido nesse mesmo ano eleito Vice-Coordenador do Colegiado do Curso. Atuou como advogado designado pelo então Ministro da Justiça, Alfredo Buzaid, membro da Comissão Geral de Investigação Sumária do Ministério da Justiça, tendo conseguido a absolvição de todos os seus defendidos.

Foi ainda professor de Direito Processual Penal no curso de Direito do CESEP, atual UNAMA –Universidade da Amazônia, e Procurador do Ministério Público do Estado do Pará, de onde pediu exoneração para trilhar exclusivamente a carreira advocatícia. Na advocacia paraense, Alberto Campos foi o advogado responsável pelo primeiro júri realizado na Justiça Federal do Pará, bem assim, pela vedação da utilização de crachá de “visitante” por advogados em órgãos públicos, quando no exercício de seus misteres profissionais, atuando desde o início de sua vida profissional em todos os tribunais superiores do país, inclusive com sustentações orais. Faz parte ainda da sua via política-profissional ter exercido por dois mandatos o cargo de conselheiro da OAB-PA.